Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Olha a enxaqueca aí...

Hoje acordei com uma baaaita enxaqueca. É terrível ser enxaquecosa (nome dado àqueles que possuem enxaqueca)!!! Descobri há poucos dias que sou portadora deste inconveniente...que por anos andei em busca de uma explicação para os meus sintomas. Fui a alguns médicos, desde ginecologistas a cardiologistas, pois eu tinha crises de vez em quando (às vezes sempre, hehehe), mas pelos sintomas não imaginava ser enxaqueca. Tudo foi cogitado: pressão baixa, problemas cardíacos e de coluna, stress... mas nenhum resultado se apresentou nos exames que realizei. É muito complicado sentir algo sem saber específico o que é, sem ter um diagnóstico. Nas minhas crises eu tinha perda de visão, adormecimento do rosto, tonturas, via "estrelinhas girando" sem conseguir focar a visão em algo, além de enjôos, peso na fala (às vezes confusa, sem saber pronunciar as palavras mais simples...) e muita dor na cabeça e na nuca, que vinha como consequência desse conjunto de sintomas, além de uma ressaca depois disso tudo, que se estendia no outro dia, às vezes até dois dias. Ufa! Quanta coisa! Nada agradável de sentir...e que só amenizava se eu dormisse. Daí comecei a tomar dois componentes naturais, que reduziram muito essas crises. A Valeriana e a Erva de São João. Já ouviu falar? São antiansiolíticos, que ajudam a dormir melhor e reduzir o stress. Então meu diagnóstico foi baseado em possíveis episódios de pressão baixa, associadas a crises de stress.A minha ginecologista (que me receitou o composto natural) até me cogitou a possibilidade de ser enxaqueca, mas nada muito específico. Mas estava eu navegando na internet, atrás de algo que me explicasse o que é enxaqueca e achei um site muito bom: www.enxaqueca.com.br, que explica direitinho todos os sintomas! Quem quiser conferir, vale a pena.  Mas agora tenho certeza de que é enxaqueca, consigo me controlar mais e evitar tudo que sei que possívelmente desencadeia minhas crises. faz um tempo que não sentia mais dor, e estou até me sentindo melhor, depois de compartilhar tudo isso com vocês!!! Espero que se alguém se encontrou na descrição dos sintomas que eu sentia, que possa buscar uma ajuda, para melhorar a qualidade de vida e ser mais feliz!!!
Beijos e beijos... Com carinho!

AMEI DEMAIS

A amizade é um amor que nunca morre. (Mário Quintana)

O LAÇO E O ABRAÇO
Mário Quintana

Meu Deus! Como é engraçado!

Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço... uma  fita dando voltas.
Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o
laço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de
braço. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,
em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando...
devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.
Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.
E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.

Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora,
deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço
afetivo, laço de amizade.
E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços.
E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum
pedaço.
Então o amor e a amizade são isso...
Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.
Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Aprisionados em si mesmos...


Tava dia desses analisando algumas situações...e que coisa! Quantas pessoas vemos aprisionadas em sua própria vida? E falo em um aspecto geral, abraçando o todo. Quantos sorrisos amarelados, sem esperança. Quantos olhares perdidos, resultantes de um corpo mecânico que faz o que é mandado, apenas. Tava dia desses olhando pela janela, observando algumas pessoas que passavam, encarangadas de frio, encolhidas, como desculpa para não transparecer o que sentem... quantos deles ali, somente andando para o lugar de sempre, sem uma expectativa e sem brilho. Talvez loucos para uma explosão, de sentimentos, de felicidade... chutar o balde e mudar de vida. Mas algo os prendem, talvez o medo de arriscar, de que o arrependimento bata à porta. Mas o que vale a pena? O que pesa mais? E às vezes é tão simples... talvez a mudança não esteja em trocar de emprego, de casa, de cidade... mas mudar a mente, o pensamento. Agradecer sempre pelo que se tem, encarar a vida com amor, alegria e esperança! Lutar para melhorar, mas sem esperar que os outros o façam, e sim correr atrás, atualizar, tirar a pedrinha chata do sapato e abrir um sorriso! Muitas pessoas têm tudo que precisam para serem felizes, e lhes falta aquela faísca para acender algo no coração e na maneira de ver as coisas à sua volta! Falta o olhar-se e perceber-se como alguém especial, que tem muitas preciosidades para serem descobertas por si mesmo! E como diz um dos ensinamentos de Osho: "Só depois de se amparar sobre os próprios pés serás capaz, algum dia, de caminhar sem pés e voar sem asas".

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Visitem! Visitem!

Só pra registrar! Pessoal, esse é o meu flickr: http://www.flickr.com/photos/fernandacanez . Gostaria muito que vocês pudessem dar uma olhada e deixar um comentário! Estou começando e toda dica é importante. Um beijão bem carinhoso!!!

Iniciantes....

   Cá estou eu novamente... Andei sumida, na correria de sempre. Mas enfim, retornei à calmaria (pelo menos por enquanto), e aqui venho para atualizar meu bloguito!!! Dia desses, estava eu navegando na net, atrás de boas leituras sobre fotografias, e achei um blog interessantíssimo! 
Quando puderem, vale a pena dar uma olhada. É o Interpretante Imediato (http://interpretanteimediato.wordpress.com). Lá encontrei uma postagem bem legal, que fala do medinho que dá e da falta de segurança que se tem quando se começa a fotografar! Coisas do tipo: "Poxa, fiz trinta fotos e só prestou uma!!!! Arf!" ou então "Nunca vou chegar aos pés do Fulano de Tal, o cara tem uma baaaita máquina e é expert em fotos!" às vezes passam na cabeça dos iniciantes. Mas calma! A coisa não é bem assim. Muitas vezes, depende do olhar que se tem, do sentimento que brota na hora da foto. De nada adianta ter uma excelente máquina fotográfica, se quem está por trás dela apenas apertar o botão. Pra mim há muito mais no fotografar! É o sentir-se como a lente da câmera, a expressão e sentimento postos naquele momento, a observação dos detalhes e o prazer em fotografar que contam como ponto crucial para uma boa foto. Claro que dominar a câmera e ter um bom equipamento contam sim, mas tem que dar um passo de cada vez. Tem que buscar a informação necessária, ler bastante, pegar dicas e não ter vergonha de perguntar. Eu ainda estou aprendendo (e falta muito) a mexer na minha Nikon. Me arrisco sim, desde que comprei só uso no modo manual, e minha casa e meu quintal são meu estúdio e meu laboratório. E vale a pena, porque daí assim é que vou aprender, pois se eu tiver medo, viciar no automático, e não tentar, tentar e tentar, não vai dar certo! Também estou começando, muitas fotos ruins vão sair, mas tenho certeza de que outras tantas vão mostrar mais que uma imagem, e sim todo o meu sentimento registrado no momento do "click"! Um beijo e até mais!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Sete dias...

Olha só... Hoje entrei no blog pra dar uma olhada e postar algumas coisas. Daí me deparei com a data da última postagem! Puxa vida, uma semana já passou... É, o tempo voa mesmo. Essa semana pra mim foi muito tumultuada, com vários acontecimentos que mexeram muito comigo. Daí quando isso acontece, parece que o tempo não passa... Nossa! Sete dias. É pouco, mas pareciam só dois, três dias... Bem, esse fim de semana estarei num retiro espiritual... pra refazer tudo aquilo perdido durante a semana. Espero estar renovada na segunda, para enfrentar mais um leão! Hehehe... Beijocas pra todos!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Bunda mole é? Hehehehe...

Recebi esses dias este email, e achei fabuloso!!! Vale a pena compartilhar com vocês... leiam e se divirtam... hehehe...

Bunda mole, é?

Belinha acordou às seis, arrumou as crianças, levou-as para o colégio e voltou para casa a tempo de dar um beijo burocrático em Artur, o marido, e de trocarem cheques, afazeres e reclamações. 

Fez um supermercado rápido, brigou com a empregada que manchou seu vestido de seda, saiu como sempre apressada, levou uma multa por estar dirigindo com o celular no ouvido e uma advertência por estacionar em lugar proibido, enquanto ia, por um minuto, 
ao caixa automático tirar dinheiro. 

No caminho do trabalho batucava ansiedade no volante, num congestionamento monstro, e pensava quando teria tempo de fazer a unha e pintar o cabelo antes que se transformasse numa mulher grisalha.
Chegando ao escritório, foi quase atropelada por uma gata escultural que, segundo soube, era a nova contratada da empresa para o cargo que ela, Belinha, fez de tudo para pegar, mas que, apesar do currículo excelente e de seus anos de experiência e dedicação, não conseguiu. 

Pensou se abdômen definido contaria ponto, mas logo esqueceu a gata, porque no meio de uma reunião ligaram do colégio de Clarinha, sua filha mais nova, dizendo que ela estava com dor de ouvido e febre.
Tentou em vão achar o marido e, como não conseguiu, resolveu ela mesma ir até o colégio, depois do encontro com o novo cliente, que se revelou um chato, neurótico, desconfiado e com quem teria que 
lidar nos próximos meses. 

Saiu esbaforida e encontrou seu carro com pneu furado.
Pensou em tudo que ainda ia ter que fazer antes de fechar os olhos e sonhar com um mundo melhor. 

Abandonou a droga do carro avariado, pegou um táxi e as crianças.
Quando chegou em casa, descobriu que tinha deixado a porra da pasta com o relatório que precisava ler para o dia seguinte no escritório!
Telefonou para o celular do marido com a esperança que ele pudesse pegar os malditos papéis na empresa, mas a bosta 
continuava fora de área. 

Conseguiu, depois de vários telefonemas, que um motoboy lhe 
trouxesse a porra dos documentos. 

Tomou uma merda de banho, deu a droga do jantar para as crianças, fez a porcaria dos deveres com os dispersos e botou os monstros para dormir.
Artur chegou puto de uma reunião em São Paulo, reclamando de tudo.
Jantaram em silêncio. 

Na cama ela leu metade do relatório e começou a cabecear de sono. Artur a acordou com tesão, a fim de jogo. Como aqueles momentos estavam cada vez mais raros no casamento deles, ela resolveu fazer
um último esforço de reportagem e transar.
Deram uma meio rápida, meio mais ou menos, e, quando estava quase pegando no sono de novo, sentiu uma apalpadinha no seu traseiro com o seguinte comentário:
 
-Tá ficando com a bundinha mole, Belinha... deixa de preguiça e começa a se cuidar..
Belinha olhou para o abajur de metal e se imaginou martelando a cabeça de Artur até ver seus miolos espalhados pelo travesseiro!
Depois se viu pulando sobre o tórax dele até quebrar todas as costelas! Com um alicate de unha arrancou um a um todos os seus dentes depois deu-lhe um chute tão brutal no saco, que voou 
espermatozóide para todos os lados!

Em seguida usou a técnica que aprendeu num livro de auto-ajuda: 
como controlar as emoções negativas.
Respirou três vezes profundamente, mentalizando a cor azul, e ponderou.
Não ia valer a pena, não estamos nos EUA, não conseguiria uma advogada feminista caríssima que fizesse sua defesa alegando que assassinou o marido cega de tensão pré-menstrual...

Resolveu agir com sabedoria.

No dia seguinte, não levou as crianças ao colégio, não fez um supermercado rápido, nem brigou com a empregada.
Foi para uma academia e malhou duas horas...

De lá foi para o cabeleireiro pintar os cabelos de acaju 
e as unhas de vermelho. Ligou para o cliente novo insuportável e disse tudo que achava dele, da mulher dele e do projeto dele.

E aguardou os resultados da sua péssima conduta, fazendo uma massagem estética que jura eliminar, em dez sessões, a gordura localizada.

Enquanto se hospedava num spa, ouviu o marido desesperado tentar localiza-lá pelo celular e descobrir por que ela havia sumido.
Pacientemente não atendeu.
E, como vingança é um prato que se come frio, mandou um 
recado lacônico para a caixa postal dele.

- A bunda ainda está mole. Só volto quando estiver dura.
Um beijo da preguiçosa...

(Extraído do livro: Este sexo é feminino /Patrícia Travassos).